Moda Livre: um app para você não financiar o trabalho escravo

Moda Livre: um app para você não financiar o trabalho escravo

20/09/2019
Lívia Monteiro Moreira


Um dos dos grandes males que assombram o universo da moda é o trabalho escravo. Em algumas empresas os trabalhadores são obrigados a trabalhar em situações precárias e a produzir números impossíveis, como por exemplo o caso recente da costureira que, além de receber um baixíssimo salário pelo trabalho exercido, era obrigada a colocar elásticos em 500 calças por hora. Infelizmente esse não é um caso isolado e várias confecções trabalham dessa forma abusiva e desumana, principalmente as fornecedoras de fast fashion, afinal de contas o preço reduzido que pagamos nas peças acaba sendo “pago” por alguém, nesses casos especificamente pelos trabalhadores.

Em uma postagem da Bruna Miranda do Review descobri que existe um aplicativo que te ajuda a descobrir quais empresas estão na lista negra e assim com essa informação passar a consumir de forma mais consciente, o app Moda Livre.

O aplicativo foi lançado pela Repórter Brasil em 11 de dezembro de 2013, e permite ao consumidor consultar se alguma marca de roupas está envolvida em acusações de uso de mão de obra escrava e quais suas políticas para evitar e combater esse crime.

Então fazendo coro ao Fashion Revolution pergunte “Quem fez minhas roupas?” e verifique se a marca que você costuma usar está envolvida com esse tipo de ação absurda e desumana. Dá trabalho ser um consumidor consciente (apesar dele diminuir bastante com o Moda Livre) mas vale a pena. Com ações assim vamos pouco a pouco construindo um mundo melhor, um que valha a pena viver.

Além de informar as “vilãs” da moda, a ideia do app é informar o que as marcas estão fazendo para evitar a contratação de empresas que utilizem mão de obra escrava. Elas são separadas em três categorias de acordo com sua pontuação: verde, amarelo e vermelho. As companhias que estão na plataforma responderam a um questionário que tem como indicadores políticas da empresa, histórico, monitoramento e transparência.

Chegou a hora de dar um basta nisso, e questionar se vamos continuar financiando esse absurdo. Vamos continuar a consumir roupas de marcas que ignoram os direitos humanos?

Se antes não tínhamos acesso fácil a informação de quais marcas estavam envolvidas com mão de obra escrava, agora isso não é mais uma desculpa, o app é gratuito e muito útil para quem quer consumir de forma consciente, sustentável e humana. Que tal acessar agora?